Crônicas do Professor Graciano Arantes - Goiás Esporte Clube - Eu Sou Goiás

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Crônicas do Professor Graciano Arantes

O Professor Graciano Arantes é uberlandense radicado em Goiás, músico, representante comercial, zagueiro - co-fundador do Moxé Futebol Clube / Campeão da II Liga Esmeraldina de Futebol Society, marido da Denise, papai da Lis, amigo do André, hantyo, bicicleteiro e blogueiro! 



Garra de Campeão!

Deu Verdão!!! Goiás Esporte Clube – “O representante goiano na elite do futebol brasileiro”! O Grande Campeão Goiano de 2013!!

Pelo equilíbrio entre as duas equipes, não seria nenhuma surpresa se o Atlético da Campininha conquistasse o título estadual deste ano, mas,  do outro lado tinha o virtuoso Walter, o iluminado Neto Baiano, o indispensável Vitor,  o leal Ernando, o determinado Valmir Lucas, o jagunço Amaral, o incansável Thiago Mendes, o técnico Renan Oliveira, o presente Ramon,  o estrategista Enderson Moreira e o regulamento que presenteou a melhor campanha da competição!

Eu gostei muito da escalação inicial do Goiás, na expectativa de o time ganhar mais qualidade com o bom passe e chute de longa distância de Dudu Cearense, tomando a titularidade de Ramon, contestada por muitos de nós torcedores, devido suas performances abaixo de sua capacidade, demonstrada na temporada passada. De muito pouco valeu, pois além de um cartão amarelo, pouco produziu o nosso bom volante.

A grande surpresa foi o Enderson escalar um ataque mais ofensivo com Eduardo Sasha pela esquerda e Júnior Viçosa pela direita, uma vez que tinha o regulamento ao seu favor, com a vantagem do empate. Mas essa formação só deu certo na primeira jogada da partida, com muita velocidade em boa jogada entre Sasha, Viçosa e uma razoável finalização de Thiago Mendes. O Walter passou praticamente todo o primeiro tempo isolado na banheira, se tornando presa fácil para a forte marcação do adversário.

Levando em consideração o bom volume de jogo por parte da equipe rubro-negra, vimos a tão disposta e determinada dupla Sasha/Viçosa presa, hora na função de marcação, hora na própria limitação técnica. Não faltou vontade! Mesmo assim, no primeiro tempo, o Verde não se encontrou, sofrendo a falta de entrosamento nessa formação, somando-se, ainda, ao abalo psicológico por ter levado um gol logo no início do jogo. 

No mais, a única jogada de perigo do adversário foi mais ao final da etapa inicial e na seguida,  o único avanço de Vitor em lance que resultou em cartão amarelo para o zagueiro atleticano Diego Giaretta, onde o ala esmeraldino sairia na cara do gol de Márcio que havia feito uma defesaça pouco antes!

O Atlético estava com a taça nas mãos! No início do segundo tempo fez o segundo gol numa infelicidade do fraco William Matheus que empurrou contra.  Naquele momento, veio a preocupação de ver o Verdão se desesperar e tomar um banho de bola. O time estava perdido dentro de campo, quase levando o terceiro gol. 

Walter cobrou uma boa falta e quase marcou com um forte chute, dando novo gás ao time. Logo, em início de reação, Renan Oliveira serviu Walter para finalmente fazer o primeiro gol e novamente o goleiro Márcio realizou grandiosa defesa!

No momento em que Enderson Moreira entra com Neto Baiano no lugar de Sasha, o Walter passa a ter mais liberdade para buscar jogo e praticamente jogar de meia, e, consequentemente, longe de seu fiel marcador. Daí pra frente várias jogadas foram surgindo.  O Atlético ainda se deu ao luxo de perder duas grandes oportunidades de gol  com Pipico pela direita e Bárbio (melhor que Pipico) pela esquerda. Vale ressaltar a grande presença do meia João Paulo do lado rubro-negro.

Ao entrar com Ramon no lugar de William Matheus, o ala Vitor, agora mais protegido, partiu para o ataque e participando ainda mais das jogadas mais agudas do Goiás, fazendo a diferença pela direita. Em cruzamento perfeito, resultou no primeiro gol do Verde, de Walter,  que incendiou a imensa torcida esmeraldina!

Deste modo, o Goiás do primeiro turno do campeonato, disparado na primeira colocação ressurgiu com Walter armando e finalizando as jogadas, Renan Oliveira dando qualidade no meio e o Vitor avançando pela ponta direita, valorizando os homens de trás.  O goleiro Harlei pouco trabalhou na partida! O segundo gol era questão de tempo, já que o Atlético não estava muito afim.

Em jogada que o atacante Walter quase se igualou ao rival Ricardo Jesus na artilharia do campeonato, Valmir Lucas recuperou uma bola praticamente perdida e deu de presente para o oportunista Neto Baiano que com um bom arremate tirou a taça das mãos campinenses, enchendo o torcedor esmeraldino de alegria! Goiás Bi-Campeão!  Vitória da persistência!


Cá entre nós:
- O time do Goiás sofreu dois gols e aguentou a bronca jogando com lealdade, sem partir para agressão, sempre respeitando o mérito do adversário.
- Sejam muito bem vindos: Hugo, Araújo e o campeonato mais disputado do planeta!
- Agradecendo ao nosso Amigo André Luiz, pela oportunidade em seu estimado espaço!



Professor Graciano Arantes