Notícia
Carregando...

Serra Dourada completa 41 anos de serviços ao futebol goiano



Considerado um dos principais estádios de futebol da Região Centro-Oeste, o Serra Dourada completa mais um ano de vida quarta-feira, 9. Inaugurado no dia 9 de março de 1975, o complexo chega a 41 anos de idade e continua atendendo os propósitos para os quais foi construído.

Um dos principais cartões-postais do Estado de Goiás, o Estádio Serra Dourada foi marco divisor de águas do futebol goiano e fator de divulgação internacional do Estado. Ainda hoje, quatro décadas após sua abertura oficial, a praça esportiva continua sendo primordial na estratégia dos clubes goianos.

Isto sem contar a realização de inúmeros outros eventos, tanto dentro do próprio estádio, quanto utilizando sua grande área de estacionamento. No quesito de outros espetáculos, foi palco de grandes shows, dentre eles destaca-se o do ex-beatle Paul McCartney, em 2013.


INAUGURAÇÃO
O dia 9 de março de 1975 correspondeu ao segundo domingo daquele mês e foi marcado pela grande festa do povo goiano na inauguração do que foi considerado por todos uma grande conquista. Uma enorme multidão de mais de 70 mil pessoas se aglomerou na nova praça esportiva para sua abertura oficial.

O primeiro jogo do Serra Dourada foi entre uma Seleção Goiana da época e a Seleção de Portugal, que terminou com a vitória dos goianos por 2 a 1, de virada. Contudo, coube ao português Octávio marcar o primeiro gol no novo estádio. A reviravolta goiana começou com um gol do atacante Lincoln e culminou com outro do meia Tuíra, decretando a vitória da Seleção Goiana.


CONSTRUÇÃO
Idealizado exatamente para permitir o crescimento do futebol goiano e projetar o Estado, o Serra Dourada começou a ser imaginado a partir da constatação da precariedade do antigo Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira que não permitia a realização de jogos importantes, pois não tinha capacidade para abrigar um grande público.

A existência de um estádio de grande porte seria condição indispensável para a presença do Estado de Goiás no panorama nacional. Leonino Caiado, à época governador do Estado de Goiás, determinou ao engenheiro Lamartine Reginaldo da Silva Júnior, então diretor-geral da Fundação Estadual de Esportes (FEE), órgão do Governo que cuidava do esporte, para que iniciasse ao processo de construção da nova praça.

E a edificação do Serra Dourada começou no dia 31 de março de 1973. Em 9 de março de 1975, menos de dois anos depois - exatamente um ano, onze meses e nove dias -, o novo estádio estava pronto.

INOVAÇÃO
O projeto arquitetônico do Serra Dourada, inovador para a época, é de autoria do arquiteto e urbanista capixaba Paulo Mendes da Rocha, que em 2006 foi condecorado com o Prêmio Pritzker, o mais importante da arquitetura mundial. 

Entre as inovações apresentadas por Mendes da Rocha, estão os vãos nas arquibancadas, localizados atrás dos dois gols, que, entre outras coisas, permite a refrigeração natural do espaço interno, amenizando o forte calor da região. Além disso, o Serra Dourada foi o primeiro estádio a contar com jardins em seu interior, contrastando com o concreto.

O engenheiro Lamartine Reginaldo e os arquitetos Armando Scartezini, Ariel Costa Campos e Silas Varizo foram os responsáveis pela obra, totalmente realizada na gestão do governador Leonino Caiado.

CURIOSIDADES
A capacidade original do Serra Dourada era de 75 mil pessoas oficialmente, mas, na prática, estaria em torno de 80 mil espectadores, já que seus dois maiores públicos se aproximam desta marca. O recorde de presença foi estabelecido no jogo inaugural, com 79 mil 610 presentes.

No decorrer dos anos, porém, a capacidade diminuiu, atendendo às determinações legais, tanto às dispostas em Lei, para atender sobretudo à segurança da população, quanto às da Federação Internacional de Futebol – FIFA. Atualmente a capacidade do estádio é para 42 mil e 49 lugares.

Nestas quatro décadas de existência, o Serra Dourada sediou inúmeros eventos de grande magnitude, seja no campo esportivo, seja no de grandes espetáculos. Entre os primeiros, acolheu finais de competições como a Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana, além de jogos da Taça Libertadores e de ter sido sede da Copa América, em 1989. 

CRAQUES
Mas é no universo do futebol que o Serra Dourada pode se orgulhar de ter sido local de exibição para verdadeiros “monstros sagrados”. O chamado Gigante do Cerrado viu desfilar em seu sempre elogiado gramado craques como Pelé, Maradona, Zico. Francescoli, Sócrates, Caniggia, Rivelino, Neymar, Robben e Van Persie, para ficar em apenas alguns nomes.

Isto além do tantos ídolos de clubes goianos, onde se destacam legendas como Lincoln, Guilherme, Tuíra, Luvanor, Baltazar, Cacau, Túlio, Fernandão, entre tantos outros que alegraram a torcida local e construíram a história recente do futebol no Estado.

O maior artilheiro do Serra Dourada é Túlio Maravilha, com 131 gols. A seleção brasileira já disputou 14 partidas no estádio e jamais foi derrotada - 12 vitórias e dois empates. A dimensão do gramado, que já foi de 118 x 80 metros, passou para 110 x 75, mas hoje, por força de uma determinação da Confederação Brasileira de Futebol – CBF -, que padronizou os campos, é de 105 metros de cumprimento por 68 metros de largura.









Serra Dourada
Imagem - Brasil 124
Partilhar no Google+

Eu Sou Goiás

Postar um comentário